Noticias / Mercado reduz previsão de inflação pela sétima vez consecutiva

24/04/2017

Mercado reduz previsão de inflação pela sétima vez consecutiva

Autor: Estadão

Os economistas do mercado financeiro voltaram a reduzir suas projeções para o IPCA neste e no próximo ano. O Relatório de Mercado Focus, divulgado nesta segunda-feira, 24, pelo BC, mostra que a mediana para o IPCA - o índice oficial de inflação - em 2017 foi de 4,06% para 4,04%. Há um mês, estava em 4,12%. Já a projeção para o IPCA de 2018 foi de 4,39% para 4,32%, ante 4,50% de quatro semanas atrás. Na prática, as projeções de mercado divulgadas no Focus indicam que a expectativa é que a inflação fique abaixo do centro da meta, de 4,5%, em 2017 e 2018. A margem de tolerância para estes anos é de 1,5 ponto porcentual (inflação entre 3,0% e 6,0%).  

Na quinta-feira passada, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) informou que o IPCA-15 - considerado uma espécie de prévia da inflação oficial - encerrou abril com taxa de 0,21%.  

Na ata do último encontro do Comitê de Política Monetária (Copom), divulgada na terça-feira passada, o Banco Central informou suas projeções de inflação. No cenário de mercado - que utiliza câmbio e juros variáveis - , a projeção é de 4,1% para 2017 e de 4,5% para 2018.  

Selic
. Na esteira da divulgação da ata do último encontro do Comitê de Política Monetária (Copom), os economistas do mercado financeiro mantiveram suas projeções para a Selic no fim de 2017. O relatório mostrou que a mediana das previsões para a Selic este ano seguiu em 8,50% ao ano. Há um mês, estava em 9,00%. O relatório indicou ainda que a mediana das projeções dos economistas para a Selic no fim de 2018 permaneceu em 8,50% ao ano. Há um mês, a projeção estava no mesmo patamar.
 

A Selic média de 2017 permaneceu em 10,31% ao ano. Há um mês, a mediana da taxa média projetada para o ano era de 10,41%. No caso de 2018, a Selic média passou de 8,63% para 8,60%. Quatro semanas antes, estava em 8,75% anuais.  

PIB
. A mediana para o Produto Interno Bruto (PIB) deste ano passou de alta de 0,40% para avanço de 0,43%. Há um mês, a perspectiva era de avanço de 0,47%.  Para 2018, o mercado manteve a previsão de alta, de 2,50%. Quatro semanas atrás, a expectativa estava no mesmo patamar.
 

As projeções para a produção industrial indicaram um cenário de recuperação neste e no próximo ano. O avanço projetado para 2017 passou de 1,26% para 1,36%. Há um mês, estava em 1,22%. No caso de 2018, a estimativa de crescimento da produção industrial foi de 2,28% para 2,50%, ante 2,10% de quatro semanas antes.  

Já a projeção para o indicador que mede a relação entre a dívida líquida do setor público e o PIB para 2017 passou de 51,40% para 51,45% no Focus. Há um mês, estava em 51,70%. Para 2018, as expectativas no boletim Focus foram de 54,85% para 55,00%, ante os mesmos 55,00% de um mês atrás.

Câmbio
. Segundo o relatório, a cotação da moeda americana estará em R$ 3,23 no encerramento de 2017. Este é o mesmo valor projetado uma semana atrás. Há um mês, a expectativa estava nos R$ 3,28. O câmbio médio de 2017 permaneceu em R$ 3,17, ante R$ 3,18 de um mês antes.
 

No caso de 2018, a projeção para o câmbio no fim do ano foi de R$ 3,40 para R$ 3,38. Quatro semanas antes, estava em R$ 3,40. Já a projeção para o câmbio médio no próximo ano foi de R$ 3,35 para R$ 3,33, ante R$ 3,36 de quatro semanas atrás.  

Preços
administrados. O relatório mostrou manutenção nas projeções para os preços administrados neste e no próximo ano. A mediana das previsões do mercado financeiro para o indicador em 2017 seguiu em alta de 5,50%. Para 2018, a mediana permaneceu em 4,70%. Há um mês, o mercado projetava aumento de 5,50% para os preços administrados em 2017 e elevação de 4,55% em 2018.
 

Em suas projeções atuais, atualizadas na ata do último encontro do Comitê de Política Monetária (Copom), o BC espera alta de 6,3% para os preços administrados em 2017 e avanço de 5,4% em 2018.  

Balança
comercial. Os economistas do mercado financeiro alteraram suas projeções para a balança comercial em 2017. A estimativa de superávit comercial este ano foi de US$ 52,00 bilhões para US$ 53,00 bilhões, ante US$ 49,50 bilhões de um mês antes. Na estimativa mais recente do BC, o saldo positivo de 2017 ficará em US$ 51,00 bilhões.
 

Para 2018, os economistas do mercado projetam um superávit comercial de US$ 42,00 bilhões, igual ao cálculo da semana anterior. Há um mês, a expectativa era de US$ 41,20 bilhões.


Novidades

Inscreva-se para receber nossa Newsletter e fique por dentro do que está acontecendo no Brasil e no Mundo.